terça-feira, 13 de abril de 2010

Competências e/ou Formação

Para se exercer uma profissão temos que nos formar e adquirir competências para tal.

Para conduzirmos um carro, uma mota, um barco, um avião, etc... temos que ter uma carta.

Para praticar um desporto, temos que aprender as regras, treinar.

Até para casar (pela igreja) há padres que exigem o curso de preparação.

Porquê que, para exercer o papel mais importante nas nossas vidas (pela minha perspectiva), o papel que mais consequências terá (positivas ou negativas) em terceiros, o mais gratificante (ou fustrante) de todos, basta querer?!

Falo em ser Mãe/Pai.

Há quem tenha "vocação" e de forma inata vá adquirindo competências com a experiência, há quem invista em formação (seja lendo, seja participando em cursos, etc), há aqueles que se preocupam em entender os filhos, que os ouvem, que os ajudam, e há aqueles que nada fazem. Não há dedicação, esforço, espirito de sacrificio (sim, é preciso, e muito), acham que basta ser, de nome, designação, porque de resto... é uma negligência disfarçada, não assumida, uma responsabilidade normalmente delegada a outrém.

Há dias assim... em que estas coisas me revoltam. Porque quem paga são sempre os pequeninos, os inocentes, os que dependem destes pais, os que necessitam de atenção, amor e não o sentem.

7 comentários:

Susana Happy Days disse...

Não podia concordar mais contigo!!!
E infelizmente tenho um caso desses na família... achar que bastou fazer e dar o nome!!!

Eu digo e penso, que depois mais tarde, essas pessoas se vão arrepender a sério!

apm disse...

:S
E há tanta gente que quer ser Mãe/Pai e não pode :(

Marta G. disse...

Pois, eu também sempre que assisto a este "teatro-do-passar-a-bola" da educação me revolto.
Mas acima de tudo tens que pensar que, achas que quem abdica, e empurra os filhos, e não lhes dá tempo, brincadeira e atenção vai ter o mesmo que por exemplo tu terás um dia mais tarde das tuas filhas??
Pois não terá.
Infelizmente há pais assim, que sem consciência, vão-se auto-empurrando para o abandono...e criam filhos confusos.

Neusa disse...

Como concordo contigo ! E o pior e mais triste é que eles é que sofrem :(

Mamã Fada disse...

Sinto o mesmo Marta mas não sabia expressar por texto tão bem como o fizeste. Tenho um caso bem perto e que me trás angústia e revolta! Fico triste de os ver assim...

Keratina disse...

Ninguem nasce ensinado! Mas há instinto inato ou não na pessoa. Que se desenvolve ou não no acto.
E sempre assim foi: pais a negligenciar os filhos e filhos a negligenciar os pais.
Desabafa, que faz bem!

Mami disse...

Ora nem mais. Concordo plenamente contigo. Daí eu afirmar tantas vezes que Mãe/Pai é quem cria, quem dá educação e não quem fez ou deitou ao mundo! Isto de ter filhos é muito bonito mas e depois??...Ah pois é! É preciso muito espírito de sacrifício como tu dizes e bem. E quem realmente ama compreende e sente que tudo o resto que mesmo sem perceberem nos dão em troca é ouro para nós!!

Bjs