quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Só meto água

A propósito do problema com a máquina de lavar roupa, ontem resolvi armar-me em técnica. Tal qual um verdadeiro faz-tudo, meti as mãos na massa (ou seja, na máquina). Confere canos, mangueiras no seu sítio, vamos ao filtro. Onde fica isso exactamente? Lá encontrei. E lá encontrei também um gancho de cabelo.

Fiquei feliz! Resolvi o problema. Amanhã ponho a máquina lavar e aposto que já não tenho um rio na minha cozinha.

Hoje lá fui eu. Separo roupa escura e faço um programa mais curto. Entretanto vou fazer outras coisas e esqueço-me. Mas completamente convencida de que tudo correria bem.

Estava a arrumar umas roupas no quarto das meninas e ouço: chap, chap, chap e umas gargalhadas. Corro. Deparo-me com cenário pouco animador. Cozinha completamente inundada novamente e a Beatriz no centro da crise, satisfeita, feliz e encharcada. Agarro-a por baixo dos braços, toda ela pinga. Fecho a porta da cozinha e vou mudá-la.

Entretenho-a com o Panda na tv e fecho-me na cozinha. Balde e pano, os meus companheiros. Enchi baldes de água. Estou toda dorida das costas e com uma neura de todo o tamanho. Entretanto a Beatriz chora, quer entrar na cozinha. Abro a porta e, enquanto acabo de limpar, ela tenta agarrar o balde. Ao tentar evitar que ela meta as mãos dentro do balde, acabo por o virar. Arre, que sorte a minha! Praguejo, praguejo, praguejo! O chão todo molhado novamente, a miúda toda encharcada mais uma vez. Começo novamente o processo: mudá-la, distraí-la, ir limpar. 

Estou farta de roupa. Tenho roupa por todo o lado. Roupa a secar, roupa para passar (embora ontem à noite tenha diminuído um bom pedaço) e muita roupa para lavar. Isto já andava atrasado, com a mudança do tempo fui buscar a roupa que era da Nini e que será para a Bia, e esta confusão veio complicar ainda mais.

O problema já está identificado. O meu pai veio cá almoçar e lá o cravei para tentar ver qual seria o problema. É o cano por onde escoa a água suja que está entupido. A água faz retorno... Agora espero que o técnico de verdade cá venha resolver o problema. É que depois disto ainda muita água tem que rolar. Salvo seja!

7 comentários:

**SOFIA** disse...

:SSSSS desejo-te as rápidas melhoras!!! ai que cenário tremendo! os senhores da Desentope são fixes, mas chama-os se o problema for MESMO grave! conselho de amiga...

Isa disse...

Que veradeiro filme... fogo!! Que tudo se resolva rápido

Isabel disse...

Oh Marta,
há alturas em que realmente as coisas correm mal!!!!
Também fui invadida por uma vaalanche de roupa no fim-de-semana, imagino o que será com a máquina avariada!!!!
As melhoras, tuas e da máquina!!!!

beijinhos

Mara disse...

Possas... ao princípio ainda deu para rir a imaginar a alegria da Beatriz a chapinhar, mas depois veio a solidariedade... Espero que não me aconteça uma dessas cá em casa.
Beijocas

Sónia disse...

Fogo imagino como isso anda ai em casa!

Alexandra disse...

Bola, que grande confusão...
Até fiquei nervosa só de ler.
Bjo

Tica disse...

quando nós fazemos atalhos no trabalho, normalmente corre mal (se tivesses esvaziado o balde logo)! com crianças a coisa é elevada exponencialmente! a mim acontece estas tretas tantas vezes, e depois fico a pensar, devia ter feito isto! inspira, expira :)