quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Sabemos que já não estamos a bater bem quando:

A mais nova pede-me uma bolacha. Tiro um pacote e dou-lhe uma. Não é essa, diz ela. Tiro outro pacote e dou-lhe outra. Não é essa! Grita ela. Tiro o terceiro pacote. É esta? Pergunto eu. Não! É aquela! E aponta para a primeira que lhe ofereci.

Reviro os olhos. E canto entre dentes: 

Vou-te contar, vou-te contar
É preciso uma paciência
P'ra te aturar, vou-te contar

O que estás a cantar? Pergunta ela, espantada.

Nada, filha. Nada.

5 comentários:

Quélih disse...

hehehe :)

ML-As Maravilhas da Maternidade disse...

Boa música, sem dúvida, infelizmente estou contigo... :S

sof* disse...

ehheeh :D muito bom!
tens de fazer como eu - só tenho um tipo de bolachas em casa - Maria.
não há escolha possível :DDD

Alexandra disse...

Muito bom!! :)

cristina disse...

:) muito bom.