quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Cabecinha pensadora

A mente de uma criança pequenina é fantástica. O imaginário deles deve ser do mais divertido. A Beatriz entende tudo à letra, é demais.

No carro, percurso escola-casa:

Eu- Então Inês, gostaste de ir de totós?
Inês - Sim. O professor disse que assim estava melhor. - O professor pediu às meninas que andassem com o cabelo apanhado. Imagino que ele note que o cabelo atrapalhe a escrever ou assim.
Eu- Então amanhã podíamos fazer uns totós diferentes.
Inês- Ó mãe, não é totó, é rabo de cavalo!
Beatriz- Rabo de cavaloooo? - Se vissem a cara dela. Eu e a Inês fartamo-nos de rir!

Por outro lado muitas vezes exige o impossível e custa fazê-la entender:

Beatriz- Mamã, o chocolate do namorado papá?
Eu- Já comemos.
Beatriz- Deixa ver.
Eu- Beatriz, tu comeste alguns, a mamã e a Nini também comeram. Não há mais.
Beatriz- Deixa ver.
Eu- Não dá para ver porque não há. Comemos todos.
Beatriz- Deixa ver.
Eu- Queres que te mostre o quê? Não há mais.
Beatriz- Anda comigo. Deixa ver.
...
Beatriz- Mãeeee? O chocolate do namorado? Deixa ver que não há.
...
Beatriz- Deixa ver!

Tive mesmo de mudar de assunto e distraí-la. Já não sabia o que lhe responder.

Tem tido "tiradas" engraçadíssimas. Preciso mesmo de ir apontando.

3 comentários:

Sara disse...

O que me ri! :-)

Adoro-te Mamy... disse...

Como te entendo minha linda cá em casa isto acontece imensas vezes, e não vale a pena insitir, o segredo é mesmo esse mudar de assunto!
Um beijinho grande

Alexandra disse...

São tão fofas nesta idade :)
O "deixa ver" também me mata!
bj