segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Que susto, pá!

Contextualizando: fim de dia, pai fora, a acabar de arrumar a cozinha, com pressa para as ir deitar.

Quando estou quase a terminar, ouço a mais a nova chamar, o som é abafado: "Mamã, anda cá. Não consigo sair".

Estava no escritório. A porta não abre. Pergunto-lhe o que se passa. "Fechei a porta à chave". Ó Céus! "Tenta rodar a chave, Beatriz", "Não consigo" , a choramingar. Noto-a a ficar nervosa e a afastar-se da porta. A irmã entra em modo histerismo, fala mais alto que eu, uma grande confusão, ninguém se ouve. Tive de acalmar a mais velha e não a deixar falar. Experimentei outras chaves. Nada. Estudei a possibilidade de sair sem ser pela porta. Impossível. Comecei a ficar sem opções. Deitar abaixo a porta (tipo à filme) fora de hipóteses, nunca teria força para isso. A miúda sempre a pedir para abrir a porta. A choramingar. O medo a crescer.

Dou um estalo mental a mim mesma. Não pode ser, calma lá. Isto resolve-se. A única solução é ser ela abrir a porta.

"Beatriz, chega aqui perto da porta. Tem calma. Vamos abrir a porta as duas. Está bem?"
"Não consigo"
"Consegues! Roda lá a chave como fizeste para fechar"
"Eu não sei. Para que lado é?"
"Faz para qualquer lado e vamos ver"
Roda a chave e nada. "Não consigo. Eu não sei" E chora.
"Tenta outra vez, tens de fazer força. Tem calma e tenta. Vais ver que dá"
Volta a tentar e ouve-se um clique. Puxo a maçaneta. Nada. Foi no sentido contrário. "Boa, filha! Tens de fazer o mesmo mas roda a chave para o outro lado. Faz força para rodar"
Ela roda e roda. E chora nos entretantos, diz que não consegue e afasta-se da porta. Chamo-a e tenho de a acalmar, via fechadura, várias vezes. "Espreita aqui, vês a mãe? Não vou sair daqui. Vamos lá tentar!"
Mais umas quantas tentativas... abriu!

Ufa! A porta abre e ela atira-se para o meu colo. Coração a miil e olhos vermelhos. Super assustada. A irmã ou se ri histérica ou faz uma cara de pesar, Ó Bia!

Foi uma lição para todos! A Inês tirou todas as chaves das portas (já poucas tinham, só as que nunca se fecham mesmo, como a do escritório em que a porta está sempre aberta). A Beatriz prometeu nunca mais brincar com chaves, Eu, depois de as pernas pararem de tremer, pensei que ainda acabamos por ter sorte. A Inês já fazia filmes de chamar bombeiros e polícia!

9 comentários:

Anónimo disse...

Que susto mesmo! Na minha casa não há chaves nas fechaduras :-)
beijos e bom regresso!
Joana

Isabel Raposo disse...

Bolas, imagino o susto... Nós já não temos nenhuma chave em casa desde que o João era pequenino... :)

Velud'arte disse...

UIfa... quando eu era pela idade da tua filhota aconteceu-me o mesmo, fiquei dentro de uma mini casa de banho... o meu pai lá me explicou para me encostar a algum lado, não me recordo, e acho que rebentou com a porta... Por essas é que lá em casa não há chaves nem fechaduras nas portas interiores, temos apenas um sistema integrado no puxador, que permite trancar, mas dá para destrancar do lado de fora, enfim, modernices que dão muito jeito. Foste excelente! Mostras-te à tua filhota pequenina que afinal ela é que se salvou a si própria, concerteza que apesar do susto, levou dali uma lição, que é: não desistir, eu consigo :) Beijinho para as três!

sofia disse...

A Beatriz nunca mais tranca uma porta!
Parabéns para ti, que conseguiste acalmar duas meninas e fazer da Beatriz uma vencedora na luta contra a fechadura.
Beijinhos

me disse...

:(((
Miúdos, pá!!!
Bjinhos
D

António Jesus Batalha disse...

Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
decerto que virei aqui mais vezes.
Sou António Batalha.
Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

sof* disse...

aloo marta!!
bem que situação, a tua bia sempre pronta :D
mas olha, para a próxima dou-te uma dica. quando isto acontecer passas por baixo da porta uma folha A4 e pedes à tua mais nova que ponha a chava na folha, depois é só puxares para ti!

com os nervos a gente nem se lembra ;)
bjs**

Marta disse...

Sofia, obrigada pela dica. Mas olha que no meu caso não resultaria. Para além do espaço debaixo da porta ser reduzido, a chave é grande, não passa por baixo :(

Sónia disse...

Grande susto fogo. ainda bem que com calma tudo se resolveu. Ainda bem que eu não tenho chaves na portas senão já estava a a ver o filme.